Chaminés ou Dutos

As chaminés são as principais fontes de emissão dos processos industriais, seu monitoramento é fundamental para a eficiente gestão do meio ambiente. Há diversas formas de quantificar os poluentes emitidos por chaminés, porém a metodologia mais difundida e aprovada tecnicamente é o conceituado teste isocinético. Esse teste permite a caracterização do fluxo gasoso, considerando todas as variações e condições da chaminé. Os poluentes que não são monitorados pelo teste isocinético são coletados conforme metodologia aplicável, como é o caso dos Óxidos de Nitrogênio (NOx) e dos Compostos Orgânicos Voláteis(VOC).


O monitoramento das emissões em chaminés ultrapassa o âmbito ambiental, quando permite identificação de material desejável ao processo e indesejável às emissões. Os principais resultados obtidos no teste são as taxas de emissão e concentração de poluentes, que podem ser utilizadas, por exemplo, para o cálculo da eficiência de sistemas de lavagem de gases.


Outros dados importantes para o controle de processo são obtidos no teste, dentre eles: vazão, temperatura, umidade, velocidade e pressão. Sistemas de abatimento de poluentes podem ser projetados com base nos dados informados.


A queima de combustíveis contribui para uma boa parcela das emissões em chaminés, fato que se deve à utilização desses processos para diversos fins, que vão desde coprocessamento de resíduos em fornos de clínquer até produção de vapor para produção de alimentos e bebidas. Os principais padrões de emissões em chaminés estão previstos nas Resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).


Torna-se, portanto, evidente a necessidade do monitoramento em chaminés para empresas e processos que visam, de forma rentável e sustentável, a produzir seus bens e serviços. Emissões em Chaminés As chaminés são as principais fontes de emissão dos processos industriais Os processos de combustão são essencialmente emissores de particulados 05 Ambimet Emissões em Chaminés


Os processos industriais são potencialmente geradores e emissores de resíduos sólidos, líquidos e gasosos. Os resíduos sólidos são monitorados principalmente com a coleta seletiva do lixo e sua correta disposição final; os resíduos líquidos são geralmente tratados e lançados em um corpo receptor, podendo causar impactos ambientais com dimnesões geralmente irreversíveis, sobretudo quando os padrões legais de emissão não são atendidos; já os resíduos gasosos, são lançados diretamente na atmosfera, na maioria das vezes através de chaminés. Por isso este último tipo de resíduo requer um cuidado especial: uma vez lançados na atmosfera, os poluentes são dispersados, de modo a tornar-se inviável a tomada de medidas corretivas. Nesse sentido, todas as medidas tomadas na gestão de efluentes gasosos devem ser de caráter preventivo.


A amostragem em chaminés ou dutos é a principal ferramenta para o diagnóstico preciso das características dos efluentes gasosos industriais. Com as informações obtidas na amostragem, é possível realizar uma série de medidas e procedimentos preventivos.


Há uma relação direta entre as emissões de poluentes na atmosfera, chaminés e a qualidade do ar que respiramos. Os poluentes lançados na atmosfera se dispersam e apresentam-se em concentrações no ar que nem sempre são as recomendáveis para a boa manutenção da saúde humana e a preservação da fauna e da flora. A formação da chuva ácida, por exemplo, é decorrente da presença em altas concentrações de óxidos de nitrogênio e de óxidos de enxofre na atmosfera, que reagem com a água também presente na atmosfera e formam ácido nítrico e ácido sulfúrico. Esse impacto ambiental é mais comum em grandes sítios industriais ou nas proximidades de processos potencialmente emissores desses poluentes.


Alguns pontos importantes devem ser considerados na análise da emissão de poluentes por chaminés. Geralmente um eficiente processo de combustão reflete eficientes emissões de poluentes. Dessa forma, as emissões de uma chaminé são reflexos diretos da qualidade do processo. Numa análise mais intrínseca, nesses casos, há um aumento de perdas indesejáveis ao processo por serem revertidas em valores monetários. Uma caldeira que apresenta combustão incompleta, por exemplo, não está produzindo a energia desejada para produção de vapor; então uma maior quantidade de combustível será utilizada para obter o resultado desejado.


Torna-se evidente que medidas de controle e de monitoramento devem ser tomadas para obtenção de processos eficientes e melhoria da qualidade de vida das pessoas.

82 3034.3449 | 82 9976.4915 | 82 9976.5107 | ambimet@ambimet.com.br
Webcomunic